1 Ó DEUS, POR QUE Tu nos abandonaste de uma vez por todas? Qual a razão dessa tua ira contra nós, as tuas ovelhas?

2 Lembra-Te de que somos o teu povo escolhido, o povo que Tu compraste há muito tempo e libertaste da escravidão para ser tua propriedade. Lembra-Te de Jerusalém, o teu lar aqui na terra!

3 Anda entre as ruínas da cidade e do templo! Vê que terrível destruição os inimigos fizeram.

4 Lá onde o povo se reunia para Te adorar, os inimigos deram seus gritos de guerra e colocaram os seus deuses para comemorar a vitória.

5 Quando entraram no templo e destruíram o forro das paredes, as placas de madeira trabalhada, eles eram como lenhadores derrubando uma floresta com seus machados.

6 Verso incluido no anterior

7 Incendiaram o templo; arrasaram completamente a tua casa; não deixaram pedra sobre pedra!

8 Eles decidiram acabar de vez com a adoração a Deus, e por isso destruíram todos os lugares onde nosso povo se reunia para Te adorar.

9 Os símbolos de nossa religião, a prova de que somos o teu povo, foram destruídos. Nossos profetas foram mortos e não existe quem possa nos dizer quando esta nossa miséria vai terminar.

10 Até quanto, ó Deus, o inimigo vai continuar ofendendo o teu nome? Será que eles falarão coisas horríveis contra Ti para sempre?

11 Por que demoras tanto a entrar em ação? Por que não estendes a tua mão direita para acabar com eles?

12 Deus, o meu Rei, desde o começo da história realiza grandes milagres, salvando o seu povo em toda a terra.

13 Com o teu poder abriste ao meio as águas do Mar Vermelho e nas ondas do mar destruíste o poder do Egito.

14 Destruíste os exércitos egípcios, que acabaram servindo de alimento aos animais do deserto.

15 Da rocha Tu fizeste correr fontes de água, e mais tarde secaste o rio Jordão para nosso povo passar.

16 O dia e a noite pertencem a Ti, pois Tu criaste a lua e o sol.

17 Tu criaste o mundo inteiro! Formaste as estações, o inverno e o verão.

18 Agora, Senhor, vê como este povo inimigo Te ofende e despreza. Essa nação sem Deus e cheia de orgulho está dizendo coisas horríveis do teu nome!

19 Não deixes Israel, a tua pomba predileta, ser destruído por esses inimigos, maus e ferozes como gaviões. Não Te esqueças do teu povo, pobre e fraco; protege a nossa vida!

20 Lembra-Te do teu trato e das promessas que nos fizeste, porque a violência se espalhou por toda a terra, em cada canto e lugar escuro.

21 Não permitas que os fracos e humildes sejam destruídos! Muda essa situação, para que os pobres e necessitados louvem o teu nome.

22 Ó Deus, levanta-Te e decide de uma vez este caso com os teus inimigos. Dia e noite, sem parar, eles Te ofendem e desprezam.

23 Não fiques surdo aos gritos dos teus inimigos, às pragas que eles lançam contra Ti, gritando cada vez mais alto.

Comentários

Nenhum comentário enviado.