1 COMO A CORÇA procura ansiosamente um riacho, assim eu Te procuro e desejo, Ó Deus.

2 Sinto sede de Deus, do Deus vivo; quando será que poderei estar de novo na sua presença?

3 Dia e noite choro de saudade enquanto meus inimigos, para zombar de mim, perguntam: "Então, onde anda esse seu Deus? "

4 Quando me lembro de como costumava ir à frente do povo que subia ao templo para adorar, cantando de alegria e louvando a Deus, numa grande festa, minha alma fica cheia de tristeza.

5 Por quê? Por que ficar triste e desanimado? Tenha confiança em Deus! Ainda voltarei a louvar o Senhor, meu Deus e minha ajuda.

6 Sinto a minha alma abatida e por isso procuro lembrar o teu poder, enquanto moro nesta terra, entre o rio Jordão, o Monte Hermom e o Monte Mizar.

7 Todas as tuas ondas passaram sobre mim; fortes correntes de tristeza me encobrem, fazendo lembrar o barulho de grandes cachoeiras.

8 Mas, para vencer tudo isso, a cada dia o Senhor me dá o seu amor cuidadoso e constante. Durante as noites eu canto em seu louvor e oro ao meu Deus, que me dá vida, dizendo:

9 "Ó Deus, minha Rocha, por que Te esqueceste de mim? Por que tenho de viver sofrendo e chorando por causa dos ataques dos meus inimigos? "

10 Cada vez que eles, zombando, perguntam, "Então, onde anda esse seu Deus? ", é como se um de meus ossos fosse quebrado.

11 Por que ficar triste e agitado, meu coração? Não é preciso! Confie em Deus; eu ainda louvarei o Senhor, o Deus que sempre me ajuda.

Comentários

Nenhum comentário enviado.