1 TOQUEM O ALARME em Jerusalém! Que o som da trombeta de alerta seja ouvido no meu santo monte! Que todos tremam de medo porque o dia do julgamento do Senhor se aproxima.

2 É um dia de escuridão e de sombras, de nuvens negras e trevas profundas. Que exército enorme! Ele cobre as montanhas como à noite! Como é grande e poderoso esse "povo"! Nunca se viu nada parecido com eles, e jamais se verá algo semelhante!

3 À frente deles e à toda sua volta, marcha o fogo! Antes deles passarem, a terra parece o Jardim do Éden em toda a sua beleza: depois que eles passam, parece um deserto. Eles destroem tudo: nada escapa.

4 Eles se parecem com cavalos e são igualmente velozes.

5 Olhem para eles, saltando pelos picos das montanhas! Ouçam o barulho que fazem, semelhante ao dos carros de guerra, ou ao som do fogo queimando um campo, ou também a um grande exército entrando em formação de combate.

6 O medo toma conta do povo que espera; seus rostos ficam brancos de pavor.

7 Esses "soldados" atacam como uma divisão de infantaria; escalam as muralhas das cidades como soldados escolhidos e bem treinados. Marcham sempre em frente, sem quebrar a formação.

8 Eles não se atropelam. Cada um fica no seu próprio lugar e não há arma que possa detê-los.

9 Caem de repente sobre a cidade, sobem pelas paredes e invadem as casas, entrando pelas janelas, como ladrões.

10 Com o seu avanço, a terra treme e os céus são sacudidos. O sol e a lua são escurecidos e as estrelas desaparecem da vista.

11 O Senhor comanda esse exército com um grito. Este é o seu poderoso exército e todos obedecem suas ordens. O dia do julgamento do Senhor é uma coisa espantosa, terrível. Quem pode agüentar tudo isso?

12 É por isso que o Senhor diz: "Voltem-se para mim, enquanto ainda há tempo. Entreguem a Mim todo o seu coração. Venham chorando, jejuando e lamentando.

13 O arrependimento deve rasgar seus corações e não apenas as suas roupas. Voltem para o Senhor seu Deus, pois Ele tem muito amor e misericórdia. Ele demora para perder a paciência. Ele é cheio de amor e não tem qualquer desejo de punir vocês.

14 Quem sabe? Talvez Ele ainda decida deixá-los em paz e dar uma bênção, em vez dessa terrível maldição. Talvez Ele dê tantas coisas a vocês que será possível oferecerem ao Senhor os cereais e o vinho como faziam antes!

15 Toquem a trombeta em Sião! Convoquem um jejum e reúnam todo o povo para uma reunião solene.

16 Que venham todos: os velhos, as crianças e até mesmo os bebês. O noivo e a noiva devem deixar seus aposentos particulares.

17 Os sacerdotes, ministros de Deus, ficarão entre o povo e o altar, chorando; e orarão, "Senhor, poupe o seu povo; não deixe que as nações pagãs o dominem porque ele pertence ao Senhor. Não deixe que os povos pagãos zombem dizendo: 'Onde está esse Deus deles?' "Ele deve ser um Deus fraco e inofensivo! "

18 Então, o Senhor terá misericórdia do seu povo e pela honra de sua terra, mostrará a sua ira!

19 Ele responderá: "Vejam, eu vou dar a vocês cereais, vinho e azeite bastantes para acabar com suas necessidades. Vocês não serão mais motivo de vergonha entre os povos.

20 Eu removerei esses exércitos que vêm do norte e os lançarei longe de vocês. Vou jogá-los em uma terra seca e deserta, e lá eles morrerão. Metade das tropas será levada para o Mar Morto e a outra metade para o Mar Mediterrâneo e o cheiro dos corpos apodrecidos encherá a terra. O Senhor fez um grande milagre em favor de vocês.

21 Não tema, meu povo; alegrem-se todos, alegrem-se muito porque Ele fez grandes coisas por vocês.

22 Que as manadas e rebanhos esqueçam sua fome; os pastos voltarão a ficar verdes. As árvores darão o seu fruto; as figueiras e videiras florescerão mais uma vez.

23 Alegre-se, povo de Jerusalém, alegre-se no Senhor seu Deus! Pois as chuvas que Ele manda são provas de perdão. As chuvas do outono e da primavera voltarão a cair.

24 Os terreiros ficarão cheios de montões de trigo novamente e os tanques de espremer se encherão de vinho e de azeite.

25 Eu devolverei a vocês as colheitas que os gafanhotos devoraram, o grande exército dos cortadores, migradores, saltadores e devoradores que Eu enviei contra vocês.

26 Mais uma vez vocês terão toda a comida que desejarem. Louvem ao Senhor que faz esses milagres em favor de vocês. Então o meu povo jamais sofrerá outra vergonha semelhante.

27 Assim vocês saberão que Eu estou aqui, entre o meu povo Israel e que apenas Eu sou o Senhor seu Deus. Não existe outro Deus. O meu povo nunca mais sofrerá uma vergonha como esta.

28 Depois de derramar novamente as minhas chuvas, Eu derramarei o meu Espírito sobre todos vocês! Seus filhos e filhas profetizarão. Os velhos terão sonhos e os jovens terão visões.

29 Derramarei o meu Espírito até sobre os seus escravos, sejam eles homens ou mulheres,

30 e colocarei símbolos estranhos na terra e no céu, sangue e fogo e colunas de fumaça.

31 O sol vai virar escuridão e a lua vai se transformar em sangue, antes de chegar o grande e terrível dia do Senhor.

32 Toda pessoa que pedir socorro a Deus será salva. Até mesmo em Jerusalém alguns escaparão, tal como o Senhor prometeu, porque Ele escolheu alguns para sobreviverem.

Comentários

Nenhum comentário enviado.

Facebook Twitter Google

Capítulos