2 Crônicas 9

1 QUANDO A RAINHA de Sabá ouviu falar da grande sabedoria de Salomão, veia a Jerusalém para ver se era verdade, e fez umas perguntas bem difíceis a ele. Com ela veia um grupo muito grande de auxiliares e empregados, trazendo camelos carregados de materiais de perfumes, oura e jóias.

2 Salomão respondeu a todas as perguntas feitas. Não havia a que ele não soubesse. Ele pôde explicar à rainha tudo o que ela quis saber.

3 Quando ela viu que Salomão era na verdade muito sábio, e como era formidável a beleza do seu palácio,

4 e coma havia abundância de alimentas nas suas mesas, e quantos ajudantes e empregados ele tinha; quando ela viu os lindos uniformes deles e os mordomos muito bem vestidos, e viu o tamanho dos homens da guarda, ela nem podia acreditar no que estava vendo!

5 Por fim ela disse ao rei: "Tudo o que ouvi a seu respeito em meu pais é a pura verdade!

6 Não acreditava, até que cheguei aqui e vi com os meus próprios olhos. A sua sabedoria é muito maior do que eu podia ter imaginado.

7 Como são felizes esses seus homens, que podem estar aqui e ouvir o rei falar!

8 Bendito seja o Senhor seu Deus! Como Ele ama Israel para dar a esse povo um rei justo e reto assim! Ele quer que o povo seja grande, que a nação seja forte para sempre. "

9 A rainha de Sabá deu a Salomão um presente que valia mais de sete mil e duzentos quilos de ouro, e grandes quantidades de perfumes da melhor qualidade, e muitas, muitas jóias.

10 Os marinheiros do rei Hirão e do rei Salomão trouxeram ouro de Ofir, e também madeira de sândalo e pedras preciosas.

11 O rei usou a madeira de sândalo para fazer degraus de escada em forma de terraço para o templo e para o palácio. E também para construir harpas e liras para o coro. Nunca antes tinha havido instrumentos tão lindos em toda a terra de Judá.

12 O rei Salomão deu á rainha de Sabá presentes do mesmo valor dos que ela havia trazido para ele, e ainda deu tudo quanto mais ela pediu! Depois ela voltou para a sua própria terra, junto com todo o grupo que havia levado.

13 Todos os anos Salomão recebia cerca de quarenta toneladas em ouro

14 dos reis da Arábia, e de muitas outras terras que pagavam uma taxa a ele todos os anos. Além disso, as mercadorias que os seus comerciantes remetiam para os outros países davam lucro.

15 Ele usou uma parte do ouro para fazer 200 escudos grandes, cada um deles valendo quase 600 sidos de ouro,

16 e 300 escudos menores, cada um deles valendo quase 300 sidos de ouro. O rei colocou esses escudos na Sala do Bosque do Líbano que havia em seu palácio.

17 Também ele fez um enorme trono de marfim todo coberto de ouro puro.

18 O trono tinha seis degraus de ouro e um estrado de ouro para apoiar os pés; também tinha os braços de ouro, e cada braço tinha ao lado um leão feito de ouro.

19 De cada lado de cada degrau havia um leão de ouro. Em todo o mundo, não havia outro trono igual a esse!

20 Todos os copos do rei Salomão eram de ouro, como eram de ouro todos os talheres, copos e vasos da Sala do Bosque do Líbano. Naqueles dias a prata valia tão pouco, que ninguém se importava com ela!

21 De três em três anos o rei mandava seus navios a Társis a fim de trazerem ouro, prata, marfim, macacos e pavões. Nessas viagens ele empregava marinheiros enviados pelo rei Hirão.

22 Assim o rei Salomão era mais rico e mais sábio do que qualquer outro rei em toda a terra.

23 Reis de todos os países vinham visitar Salomão, e ouvir a sabedoria que Deus havia colocado no coração dele.

24 Cada um trazia a ele todos os anos uma taxa em objetos de prata e de ouro, roupas, armaduras, perfumes, cavalos e mulas.

25 Além disso, Salomão tinha quatro mil estábulos de cavalos e carros, e doze mil cavaleiros estacionados nas cidades para os carros, e também em Jerusalém para proteger o rei.

26 Ele governava sobre todos os reis e todos os reinos, desde o rio Eufrates até à terra dos filisteus onde formava fronteira com o Egito.

27 Ele fez que houvesse tanta prata em Jerusalém como havia pedras na estrada! E o cedro era usado como se fosse o sicômoro comum dos vales.

28 Ele recebia cavalos do Egito e de outros países.

29 O restante da história da vida de Salomão, do começo ao fim, está escrito na história do profeta Natã e na profecia de Aias, o siloníta, e também nas visões do vidente Ido com referência a Jeroboão, filho de Nebate.

30 Salomão reinou quarenta anos em Jerusalém sobre todo o Israel.

31 Depois ele morreu e foi enterrado em Jerusalém, e seu filho Roboão se tornou o novo rei.

Comentários

Nenhum comentário enviado.

Facebook Twitter Google

Capítulos