2 Crônicas 20

1 MAIS TARDE, OS exércitos dos reis de Moabe, de Amom e dos meunitas declararam guerra a Josafá e ao povo de Judá.

2 Chegou a Josafá a notícia de que "um enorme exército, vindo de além do mar Morto e da Síria em Hazazom-Tamar" ( que também se chama En-Gedi ).

3 Josafá ficou muito perturbado com esta notícia, e resolveu pedir socorro ao Senhor. Assim ele anunciou que todo o povo de Judá devia fazer jejum em atitude de tristeza e de oração diante de Deus.

4 Gente de todo o país veio a Jerusalém para orar junto com ele.

5 Josafá se colocou em pé no meio da congregação quando se reuniram no pátio novo do templo e fez esta oração:

6 “Ó Senhor Deus de nossos pais - o único Deus nos céus, o Governador de to dos os reinos da terra - o Senhor é tão poderoso, tão forte. Quem pode resistir ao Senhor? ”

7 “Ó nosso Deus, porventura o Senhor não expulsou desta terra os homens que aqui moravam - adoradores de outros deuses - quando o seu povo chegou aqui? E não deu esta terra para sempre aos filhos de seu amigo Abraão? ”

8 “Seu povo passou a morar aqui e construiu este templo ao seu nome”,

9 “crendo de verdade que num tempo como este - toda vez que enfrentarmos qualquer calamidade como a guerra, doença ou fome podemos nos colocar aqui diante deste templo e diante do Senhor - pois está aqui neste templo - e clamar ao Senhor para salvar-nos da angústia; e que Ele nos escutaria e nos salvaria”.

10 “Agora, pois, veja o que os exércitos de Amom, de Moabe e de Edom estão fazendo. O Senhor não quis deixar que nossos pais invadissem aquelas nações quando Israel saiu do Egito, por isso nos desviamos e não os destruímos”.

11 “Veja agora como eles nos pagam! Pois eles vieram para tirar-nos da terra, que o Senhor nos deu”.

12 “Ó nosso Deus, o Senhor não vai fazê-los parar? Não temos jeito de nos proteger contra este exército poderoso. Não sabemos o que fazer, mas estamos olhando para o Senhor”.

13 Enquanto todo o povo de todas as partes de Judá estava em pé diante do Senhor, com suas crianças, suas esposas e seus filhos,

14 o Espírito do Senhor veio sobre um dos homens que estavam ali na assembléia - Jaaziel, filho de Zacarias, sendo Zacarias filho de Benaia e Benaia filho de Jeiel; este era filho de Matanias, levita, que era um dos filhos de Asafe.

15 "Escutem-me, todos vocês, povo de Judá e de Jerusalém, e também o rei Josafá! " exclamou ele. "O Senhor diz: 'Não tenham medo! Não fiquem assustados por causa deste exército poderoso! Pois a batalha não é de vocês, mas de Deus! ’”

16 “‘Amanhã, desçam e ataquem esse exército! Vocês vão encontrá-lo subindo as ladeiras de Ziz, no fim do vale, em frente do deserto de Jeruel’”.

17 “‘Mas vocês não terão necessidade de lutar! Tomem seus lugares; fiquem tranqüilos, e vejam a incrível operação de salvamento que Deus realizará por vocês, Ó povo de Judá e de Jerusalém! Não tenham medo, nem fiquem desanimados! Vão para lá amanhã, pois o Senhor está com vocês! '"

18 Então o rei Josafá caiu ao chão com o rosto em terra, e todo o povo de Judá e o povo de Jerusalém fizeram a mesma coisa, adorando ao Senhor.

19 Depois os levitas da família de Coate e da família de Coré se levantaram para louvar o Senhor Deus de Israel, com hinos de louvor que soavam forte e claro.

20 Bem cedo, na manhã seguinte, o exército de Judá saiu para o deserto de Tecoa. No cominho, Josafá parou e chamou a atenção deles. "Escutem-me, ó povo de Judá e de Jerusalém, " disse ele. "Creiam no Senhor seu Deus, e vocês terão sucesso! Creiam nos profetas de Deus, e tudo sairá bem! "

21 Depois de consultar os chefes do povo, ele decidiu que haveria um coro para guiar a marcha, e os membros do coro vestidos com vestes sagradas e cantando o hino "Sua Misericórdia é para Sempre" enquanto caminhavam, louvando e dando graças ao Senhor!

22 E no momento em que eles começaram a cantar e a louvar, o Senhor fez que os exércitos de Amom, de Moabe e de Edom começassem a lutar entre eles mesmos, e eles se destruíram uns aos outros!

23 Pois os amonitas e os moabitas se revoltaram contra os seus aliados de Edom e mataram todos eles. E quando acabaram com os de Edom, começaram a matarem-se uns aos outros!

24 Assim, quando os de Judá chegaram num local alto de onde se olha para o deserto, até onde eles podiam ver, o chão estava coberto de corpos mortos - não escapou nem um só dos soldados inimigos.

25 O rei Josafá e seu povo saíram para tirar dos soldados mortos tudo o que podiam, e voltaram carregados de dinheiro, roupas e jóias - era tanta coisa que eles gastaram três dias para levar tudo!

26 No quarto dia eles se ajuntaram no Vale da Benção, como se chama hoje esse vale, e como eles louvaram ao Senhor!

27 Então voltaram para Jerusalém, com Josafá à frente do povo, cheios de alegria porque o Senhor os salvou dos inimigos, de maneira tão maravilhosa!

28 Entraram marchando em Jerusalém, acompanhados por uma banda de harpas, liras e trombetas, e se dirigiram ao templo.

29 Conforme havia acontecido antes, quando os reinos vizinhos ouviram falar que o próprio Senhor havia lutado contra os inimigos de Israel, o temor de Deus caiu sobre eles.

30 Assim, o reino de Josafá teve calma, porque Deus concedeu descanso ao rei.

31 Aqui vai uma curta descrição da vida do rei Josafá: Ele se tornou rei de Judá quando estava com trinta e cinco anos de idade, e reinou vinte e cinco anos em Jerusalém. O nome de sua mãe era Azuba, filha de Sili.

32 Ele foi um bom rei, como seu pai Asa tinha sido. Todo o tempo procurou seguir ao Senhor,

33 menos o fato de que ele não destruiu as imagens colocadas nos montes, nem o povo havia ainda decidido, realmente, seguir de coração ao Deus de seus pais.

34 Os atos do reino de Josafá, desde os primeiros até aos últimos, estão escritos na história de Jeú, filho de Hanani. Jeú colocou essa história de Josafá como um capítulo na História dos Reis de Israel.

35 Mas no fim de sua vida, Josafá, rei de Judá, fez sociedade com Acazias, rei de Israel, que era um homem muito mau.

36 Eles fabricaram navios em Eziom-Geber, para ir a Társis.

37 Então Eliezer, filho de Dodava, de Maressa, profetizou contra Josafá e lhe disse: "Já que você fez um contrato com o rei Acazias, o Senhor destruiu o que você construiu. " Assim, os navios se quebraram e nunca chegaram a Társis.

Comentários

Nenhum comentário enviado.

Facebook Twitter Google

Capítulos