1 De Davi. Ao regente do coro-com a melodia de “Os Lírios”. Ó Deus, salva-me porque estou na água até o pescoço!

2 Estou atolado num lamaçal muito fundo, não tenho onde apoiar os pés. Entrei em águas profundas, e a correnteza quase me afoga.

3 Estou rouco de tanto gritar por socorro, e a minha garganta está ardendo. Os meus olhos estão cansados, esperando que tu, meu Deus, venhas me socorrer.

4 Aqueles que, sem motivo, me odeiam são mais numerosos do que os cabelos da minha cabeça. Os meus inimigos contam mentiras a respeito de mim; eles são fortes e querem me matar. Eles me forçam a devolver o que não roubei.

5 Os meus pecados não estão escondidos de ti, ó Deus; tu sabes como tenho sido tolo.

6 Ó SENHOR, Deus Todo-Poderoso, não deixes que aqueles que confiam em ti passem vergonha por causa de mim! Ó Deus de Israel, não permitas que eu traga desgraça para aqueles que te adoram!

7 Pois é por causa do meu amor por ti que tenho suportado insultos e tenho passado vergonha.

8 Sou como um estranho para os meus irmãos, sou como um desconhecido para a minha família.

9 O meu amor pelo teu Templo queima dentro de mim como fogo; as ofensas daqueles que te insultam caem sobre mim.

10 Eu faço jejum e me humilho, e, no entanto, eles me insultam.

11 Eu me visto de luto, e eles riem de mim.

12 Falam de mim nas praças, e os bêbados fazem versos a meu respeito.

13 Porém eu, ó SENHOR Deus, faço a minha oração a ti. Ó Deus, responde-me quando achares por bem, pois me amas muito! Salva-me como prometeste.

14 Não me deixes afundar na lama. Livra-me dos meus inimigos e das águas profundas da morte.

15 Não deixes que as ondas me cubram. Não permitas que eu me afogue em águas profundas, nem que seja engolido pela sepultura.

16 Ó SENHOR Deus, tu és bom e amoroso; responde-me e vem me ajudar, pois é grande a tua compaixão.

17 Não te escondas do teu servo; responde-me agora, pois estou muito aflito.

18 Vem e salva-me; livra-me dos meus inimigos.

19 Tu vês todos os meus inimigos; tu sabes como eles me insultam e conheces a vergonha e as humilhações que tenho sofrido.

20 Os insultos partiram o meu coração, e estou desesperado. Esperei que alguém tivesse pena de mim, mas ninguém teve; esperei que alguém viesse me consolar, porém ninguém apareceu.

21 Quando estava com fome, eles me deram veneno; quando estava com sede, me ofereceram vinagre.

22 Que os seus banquetes sejam a desgraça deles! E que as suas festas religiosas causem a sua queda!

23 Ó Deus, faze com que eles fiquem cegos! Faze com que percam completamente as forças!

24 Descarrega sobre eles a tua ira, e que o fogo do teu furor os alcance!

25 Que os seus acampamentos fiquem desertos! E que ninguém fique vivo nas suas barracas!

26 Eles perseguem aqueles que castigaste e zombam dos sofrimentos daqueles que feriste.

27 Toma nota de todos os pecados deles; não os deixes tomar parte na tua salvação.

28 Que o nome deles seja riscado do livro da vida e que não seja colocado na lista dos que te obedecem!

29 Eu estou sofrendo, desesperado; ó Deus, levanta-me e salva-me!

30 Louvarei a Deus com uma canção; anunciarei com gratidão a sua grandeza.

31 Isso será mais agradável a Deus, o SENHOR, do que oferecer em sacrifício um touro crescido.

32 Quando os que são perseguidos virem isso, ficarão contentes, e os que adoram a Deus ficarão animados.

33 Pois o SENHOR ouve os necessitados e não despreza o seu povo que está na prisão.

34 Louvem a Deus, ó céu e terra, ó mares e todas as criaturas que estão neles!

35 Ele salvará Jerusalém e construirá de novo as cidades de Judá. O seu povo viverá ali e possuirá a Terra Prometida.

36 Os descendentes dos servos de Deus herdarão essa Terra, e aqueles que o amam viverão ali.

Comentários

Nenhum comentário enviado.